Quanto uma placa fotovoltaica gera de energia?

Neste artigo, vamos responder a uma dúvida comum de quem pretende investir em energia solar: afinal, quanto uma placa fotovoltaica gera de energia para a unidade consumidora?

Geralmente, as pessoas apresentam esse questionamento para saberem a quantidade certa de painéis que precisarão comprar para que o sistema gere a eletricidade (e a economia) esperada.

Por isso, se você também tem essa dúvida, confira a resposta agora.

Os fatores que influenciam na geração de energia da placa fotovoltaica

Não faremos suspense para responder a sua dúvida. O fato é que não há uma resposta exata sobre a quantidade de energia gerada por uma placa fotovoltaica. Cada caso é um caso.

Mesmo que o painel tenha a sua potência pré-estabelecida, outros fatores contribuem diretamente para a geração da quantidade adequada de energia solar.

Exemplos de fatores são:

  • A potência da placa fotovoltaica: existem vários tipos de painéis solares e cada um deles apresenta uma potência máxima, e, consequentemente, um índice de eficiência.
  • O local de instalação: locais com maior incidência de radiação solar geram mais energia na placa fotovoltaica – e o Brasil é um dos campeões nesse quesito.
  • A orientação e inclinação do painel: a latitude, a inclinação das placas e outras variáveis geográficas também determinam a quantidade de energia que a placa gera.
  • As condições do clima: existem diferenças na geração de energia solar nas quatro estações climáticas do ano. No verão, por exemplo, ocorre maior produção de energia por termos a luz solar por mais tempo.
  • Temperatura local: ao contrário do que se imagina, não é o calor que produz a energia, mas a luz do Sol. É por isso que no inverno o sistema continua gerando eletricidade.
  • O sombreamento: a incidência de áreas de sombra na placa fotovoltaica também pode interferir na geração de energia.

Além de todos esses fatores, na hora de determinar a quantidade de painéis solares que será instalada no projeto, a equipe também analisará fatores relacionados ao próprio imóvel – que pode ser residencial, comercial, industrial ou rural.

Exemplos:

  • A quantidade de equipamentos a serem alimentados pela energia (ex: aparelhos eletrodomésticos, eletrônicos, lâmpadas, etc.);
  • Quanto de energia cada equipamento consome;
  • Média de consumo mensal de eletricidade estimada.

O cálculo da energia gerada por uma placa fotovoltaica

Bom, depois de entendermos que existem muitas variáveis que determinam a quantidade de energia que cada placa fotovoltaica gera, vamos aos números.

Quando falamos na medida em kW (quilowatt), o cálculo é feito dividindo o volume mensal de consumo do imóvel (kWh) pelo número de horas utilizadas da placa (geralmente colocamos entre 4 a 5 horas diárias, na região Sul de Santa Catarina – importante lembrar que o cálculo pode variar de cidade para cidade.)

Uma placa fotovoltaica de 200 Wp, por exemplo, gera em torno de 0,27 kW. Já a placa de 330 Wp pode gerar, aproximadamente, 0,45 kW e assim por diante.

Quando falamos na medida em kWh (quilowatt-hora), que é a medida mais conhecida por estar mais especificada na conta de energia, precisamos utilizar como base o valor de 150 W (watts) para um painel de 1m².

O cálculo é feito multiplicando esse valor em watts pela taxa de irradiação solar da região. Dessa forma, também é possível descobrir o quanto uma placa fotovoltaica gera de energia em quilowatt-hora.

Para você ter uma ideia, uma placa que tem 100 Wp (watts-pico) de potência pode produzir entre 12 e 14 kWh de energia mensalmente, sem considerar as perdas naturais do sistema.

Por fim, quando se trata da medida em Wh (watt-hora), saiba que se um painel com 100 Wp de potência pode produzir de 400 até 550 Wh de energia por dia. Então, uma placa de 200 Wp gera o dobro e assim por diante.

Em todos esses cálculos, lembre-se que sempre consideramos os fatores já citados, por isso que não há como dar uma resposta que sirva para todos os casos.

Mas, se você quer ter uma ideia de quanto seria o investimento em seu caso específico, acesse gratuitamente o nosso simulador aqui.

E para complementar este assunto, confira no próximo post como calcular o investimento em energia solar e o tempo de payback.

Deixe um comentário