Economia de energia: descubra como economizar em casa

O tema economia de energia nunca é demais. Afinal, estamos vivendo tempos em que existe a possibilidade de sofrermos um novo apagão, como o ocorrido em 2001. 

São diversos os fatores que nos aproximam dessa triste realidade de faltar eletricidade, mas a crise hídrica tem se destacado, já que alguns reservatórios estão operando no volume morto.

E tudo isso resulta naquilo que você já conhece bem: o aumento na conta de energia, já que fica mais caro produzir eletricidade e a bandeira vermelha é acionada. 

Então, você precisa tomar as medidas em sua casa, a começar pela economia.

Confira algumas dicas importantes:

1. Substitua as lâmpadas fluorescentes pelas de LED

Embora as lâmpadas de LED sejam mais caras, elas são fundamentais na economia de energia de uma casa.

Isso porque elas duram três vezes mais do que as fluorescentes e consomem cerca de 50% de eletricidade. 

Então, a fluorescente queimou? Já substitua por uma de LED aos poucos, para você não desperdiçar as lâmpadas que ainda funcionam na casa. 

2. Mantenha o chuveiro na posição “verão”

O chuveiro elétrico é responsável por 25% do consumo de energia em uma casa. Isso não quer dizer que você precise ficar sem banho, ok?

Brincadeiras à parte, uma medida eficaz que reduz em 30% o consumo do chuveiro é mantê-lo na posição de verão. Com a água menos quente, menos energia é utilizada.

Caso realmente fique difícil por conta de você morar em uma região fria, vale a pena investir em um sistema de aquecimento solar

3. Saiba como otimizar o ar-condicionado

Considerado um dos vilões da economia de energia, é possível amenizar o grande consumo do ar-condicionado com algumas dicas simples.

Em primeiro lugar, mantenha o aparelho limpo e com a manutenção em dia. Sim, isso faz toda a diferença.

Outra dica importante: saiba que existe uma temperatura ideal que evita o consumo excessivo de energia. Mantenha o seu ar-condicionado com 23ºC e, no máximo, 25ºC. 

Mesmo nos dias mais quentes, essa temperatura deixa o ambiente mais agradável; por isso, tenha paciência nos primeiros minutos em que você chegar da rua e ligar o ar nessa temperatura. Depois de algum tempo, você vai se sentir refrescado. 

4. Não deixe a geladeira perto do fogão

Se os dois eletrodomésticos estiverem próximos, saiba que um vai interferir no consumo de energia do outro.

Afinal, são dois aparelhos que funcionam com diferentes temperaturas. Um fogão quente próximo a uma geladeira fria certamente vai demandar mais eletricidade para manter o aparelho resfriado. 

Por isso, mude-os de lugar e perceba os resultados.  

5. Retire (mesmo) os aparelhos da tomada para economia de energia

Colocamos a palavra “mesmo” no meio da frase porque muitas vezes a gente insiste em manter os eletroeletrônicos ligados sem necessidade – afinal, daqui a pouco vamos usar de novo, não é mesmo?

Vai almoçar? Então desligue o computador, retirando-o da tomada. Faça isso com a televisão, a cafeteira, a máquina de lavar, com o carregador de celular – enfim, com todos os aparelhos que não precisam permanecer ligados o tempo todo.

Falando em celular, evite deixá-lo carregando na tomada a noite inteira. Isso também faz diferença na economia de energia.

6. Invista em iluminação natural em sua casa

Quanto mais você investe na luz natural, menos precisará manter as lâmpadas acesas em sua casa.

Existem algumas dicas básicas que te ajudam a aproveitar mais a luz do dia. São elas:

  • Pinte as paredes e o teto com cores claras para que a luz natural seja refletida com mais facilidade.
  • Prefira as cortinas translúcidas, caso precise manter a privacidade no cômodo.
  • Invista em espelhos para refletir a luminosidade que entra pela janela.
  • Instale claraboias no teto de corredores e escadas.
  • Posicione mesas e escrivaninhas próximas à janela para aproveitar a luz natural e evitar lâmpada acesa. 

7. Opte pela energia solar em sua casa

Todas as dicas anteriores ajudam na economia de energia; porém, se você quer economizar até 90% em sua fatura, a solução é investir no sistema de energia solar.

Além de toda essa economia, o sistema fotovoltaico tem uma vida útil de 30 anos e uma manutenção simples e acessível.

Na prática, o seu sistema permanece ligado à distribuidora de energia da região e sempre que você precisar, pode usar a energia convencional. 

No entanto, quando o sistema produzir mais do que você utilizou, você fica com créditos em kWh (quilowatt-hora) para consumir em até 60 meses. Isso se chama Net Metering

Quer saber mais? Então no próximo post, confira outros 7 motivos para você instalar o sistema fotovoltaico hoje mesmo!